Militares elogiam curso de proteção a autoridades na Bahia

Um dos treinamentos mais procurados por policiais que pretendem atuar na segurança de dignitários, a terceira edição do Curso de Proteção de Autoridades, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Casa Militar, atraiu o interesse de militares de fora da Bahia e até de outras instituições de segurança pública. Com início no dia 10 de agosto, parte da avaliação final foi realizada na manhã deste sábado (22), na Vila Militar do Bonfim, em Salvador. Na atividade de encerramento, 45 dos 53 participantes que iniciaram o curso colocaram em prática os conteúdos aprendidos e simularam o protocolo de atendimento a uma autoridade em visita à Bahia.

Sob a coordenação do major PM, Carlos Maltez, o curso teve duração de duas semanas e meia, com atividades na capital e na Região Metropolitana de Salvador (RMS). “O curso tem carga horária de 120 horas. Temos aulas teóricas, aqui na Vila Militar do Bonfim, e aulas práticas em vários locais, como o Batalhão de Choque, o Batalhão de Operações Especiais (ambos em Lauro de Freitas) e o Corpo de Bombeiros Militar (na região do Iguatemi, em Salvador), treinando e capacitando nossos policiais da melhor forma possível”, explicou Maltez.

Escolta motorizada e a pé, defesa pessoal, tiro, salvamento aquático, doutrina da segurança de autoridades e varredura de artefatos explosivos estão entre os assuntos abordados durante o curso que concede ao participante o título de especialista em proteção de Vips, termo muito usado na gíria militar, que tem origem na expressão inglesa Very Important Person (Pessoa Muito Importante).

A formatura está marcada para a próxima quinta-feira (27). Além de praças e oficiais da Bahia, policiais de Mato Grosso, Minas Gerais, Tocantins, Rio Grande do Norte, do Corpo de Bombeiros da Bahia (CBMBA) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) concluíram o curso. Cada estado e instituição enviou dois participantes. De acordo com o major PM de Mato Grosso, Douglas Catanante, a Bahia é uma das referências em proteção de autoridades. “Está sendo muito interessante e importante para a formação das nossas equipes lá, além do melhoramento do nosso trabalho”.

As exigências quanto ao preparo físico e intelectual dos alunos estão entre os destaques na opinião de Catanante. “Isso eleva e engrandece o curso. O nível dos instrutores está muito alto. As matérias estão muito atualizadas e direcionadas com a prestação de serviço que a gente faz, que é a proteção de autoridades nos nossos estados e das pessoas que vão nos visitar. O curso é bastante completo”, afirmou.

O tenente PM Gustavo Craveiro, do Rio Grande do Norte, também disse que irá atuar como multiplicador dos conhecimentos adquiridos na Bahia. “O curso foi excelente. A gente vai levar este conhecimento para o Rio Grande do Norte e treinar o pessoal lá, né? Tudo o que foi passado para a gente foi de grande valia. Está bem falado no Brasil este curso. Amigos me disseram que se tratava de um curso de excelência e, realmente, é muito bom”, relatou Craveiro, que destacou ainda as atividades de escolta e as aulas de tiro. 

A tenente do Corpo de Bombeiros da Bahia, Vanessa Matos, é uma das duas mulheres que chegaram à fase final do curso. Para ela, que ingressou na corporação em 2011, participar do curso foi um diferencial na jovem carreira. “O curso garantiu que estejamos capacitados a encarar qualquer tipo de atividade e risco que venha atingir as autoridades, garantindo desta forma a nossa vida, bem como das autoridades que estão sendo protegidas. Temos que estar preparados, tanto fisicamente, quanto psicologicamente. Isso é um desafio”, destacou.