Estudantes aprovam espaço Educar para Transformar na Flica 2015

Estudantes de todas as idades, bem como professores das redes pública e privada de ensino, têm usufruído do espaço Educar para Transformar, montado na Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), aberta oficialmente na última quarta-feira (14). Diversos trabalhos que foram destaque em edições do projeto Artes Visuais Estudantis (AVE) estão expostos no local com o intuito de estimular nos visitantes o gosto pela arte.

Além de apreciar as obras feitas por estudantes da rede estadual, os visitantes têm a possibilidade de trocar experiências com os jovens talentos que foram revelados no AVE, como o desenhista Pablo de Jesus, do município de Morro do Chapéu, no centro norte da Bahia. “Participei do AVE no ano de 2010 e, até hoje, estou envolvido diretamente com o projeto, que faz acontecer na vida da gente. É gratificante [transmitir os conhecimentos sobre a técnica desenho realista]. Me sinto na obrigação de fazer isso. Tenho o dever de passar para as pessoas a minha experiência”, disse.

flica 2015 (3)

Pablo, que não é mais estudante da rede estadual, afirmou que participar do AVE lhe rendeu muita visibilidade e, atualmente, se mantém com a venda dos desenhos, participação em exposições e ainda como professor de desenho.

Música e literatura

Os talentos musicais e literários do Festival Anual da Canção Estudantil (Face) e do Tempos de Arte Literária (TAL) também têm espaço garantido na Flica. Na manhã desta sexta-feira (16), terceiro dia de evento, dezenas de estudantes participaram de uma oficina de canto coral. Do município de Gandu, a estudante do 8° ano da Escola Estadual Fernando Guedes Andrade, a jovem Sarah Oliveira, 13 anos, teve sua primeira experiência musical durante a oficina e saiu encantada do local. “Gostei demais da minha participação. Estou achando o máximo, ainda mais pela diversidade e pelas culturas”.

flica 2015 (2)

A programação do espaço Educar para Transformar, bem como todas as demais atividades da Flica são gratuitas. “Este é um local do encontro com livros, autores, estudantes e ex-estudantes da rede. Tudo com a finalidade de fomentar as experiências criativas. Os estudantes leem e depois criam, compõem suas canções, expõem sua literatura, sua poética”, explica a coordenadora de projetos artísticos da Secretaria da Educação do Estado, Nide Nobre.

A coordenadora informou ainda que, neste sábado (17), a Secretaria da Educação irá lançar o ‘Concurso Festa Literária na Rede Estadual: 169 anos de Castro Alves’. Segundo ela, as 20 melhores obras, divididas em quatro gêneros (poesia, prosa, carta e cordel), serão apresentadas e premiadas na Flica 2016. As inscrições podem ser feitas no site da Secretaria da Educação.